Filme: "Cisne negro", Darren Anorofsky - Psicanalista Sandro Cavallote
17961
post-template-default,single,single-post,postid-17961,single-format-standard,bridge-core-2.6.4,qode-page-transition-enabled,ajax_fade,page_not_loaded,,no_animation_on_touch,qode-title-hidden,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-26.4,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.6.0,vc_responsive

Filme: “Cisne negro”, Darren Anorofsky

Qual o preço da perfeição? Até onde a pressão profissional pode trazer sensações, sentimentos, traumas e até transtornos à tona?
 
Até onde você é responsável pelas suas próprias realizações? Até onde essa visão solitária de que você é responsável por você (e pelo seu próprio sucesso / fracasso) e que precisa ser fortaleza para dar conta de tudo não é um sintoma?
 
Até onde o Ideal do Eu e o conflito com o Eu Ideal deve seguir? Quais os limites de nossa relação com o Id, com o Ego, com o Superego?
 
Até onde o Cisne Negro deve ser livre?
 
Um filme denso, edificante e asfixiante do ponto de vista psicológico e emocional.
 
E o diretor, Darren Aronofsky (do angustiante “Réquiem para um Sonho”) sempre estará presente por aqui…
 
(Parece que está disponível no Star+)



Abrir Chat
Posso ajudar?